Inicial Artigos A Justiça de Deus

 

 

Voltar para o livro O FIRME FUNDAMENTO

 

 


A JUSTIÇA DE DEUS

 


 

 

 O caráter de Deus é tão santo que ele não pode pecar, nem aprovar qualquer tipo de pecado cometido por outros. O grande amor de Deus nunca faz com que ele renegue sua santidade neste sentido. Se ele fizesse isso, não seria amor verdadeiro. Se Deus aceitasse o pecado cometido por outros, ele seria participante deste pecado, portanto, ele se tornaria pecador também. E Deus não fará isso.

 

A experiência demonstra, de mil maneiras, que seguir os padrões de Deus traz bençãos, mesmo nesta vida terrena; desviar-se destes padrões, por outro lado, leva à total miséria.

 

Deus sempre faz o que é correto. Quando os homens pensam que Deus não agiu corretamente, é porque eles não compreendem os seus caminhos e o tempo irá provar que eles estavam totalmente enganados.

 

 

Meu desejo e minha oração é que você confie neste Deus vivo e verdadeiro, este Deus santo que nunca erra. Ele nunca irá pecar, nem tolerar o pecado.

 

 

Espero que você perceba pela sua própria experiência pessoal que seguir os padrões de Deus traz, de fato, bençãos.

 

 

A santidade de Deus não é passiva. A santidade de Deus é, obviamente, ativa na própria conduta dele. Mas, sendo ele o dominador do universo, ele tem que agir em relação à conduta dos outros. Ele precisa decidir não apenas o que é certo e o que é errado, mas ele precisa decidir QUEM está certo e QUEM está errado. Então, ele precisa decidir o que será feito com aqueles que agem de forma errada, e também a maneira pela qual serão recompensados os que agem corretamente.

 

 

Isso não é tudo. Deus tem que se assegurar que os seus decretos sejam executados. Ele é um Deus de amor, mas seu amor nunca abre mão da sua justiça. Se o seu amor for conceder misericórdia a alguém que foi condenado pela sua justiça, é necessário que haja uma maneira justa de se fazer isso, caso contrário este amor terá que seguir a justiça e o juízo.

 

 

Vamos tratar do assunto da justiça e do juízo de Deus, do fato de Deus ser um juiz. Vamos considerar seis pontos.

 

 

Primeiro: não há parcialidade nem favoritismo com Deus. Em I Pedro 1:17 Deus diz: E, se invocais por Pai aquele que, sem acepção de pessoas, julga segundo a obra de cada um, andai em temor, durante o tempo da vossa peregrinação.

 

 

Observe que o Pai executa juízo segundo a obra de cada um. Ele faz isso sem acepção de pessoas. Deus não se importa se você é rico ou pobre, oriental ou europeu, estudado ou não estudado, homem ou mulher, religioso ou não religioso; Deus vai  te julgar, baseado na justiça e na santidade dele, sem qualquer favorecimento à sua pessoa.

 

 

Em Romanos 2:11, lemos novamente, Porque, para com Deus, não há acepção de pessoas. Você não vai conseguir subornar Deus, nem impressioná-lo acerca de quem você é. Aquele que fez os céus, a terra, e tudo que neles há (Êxodo 20:11, Atos 4:24) não se deixará influenciar pelas coisas que você fez.

 

 

Deus julgará sem acepção de pessoas, porque diante dele, todo homem, por mais firme que esteja, é totalmente vaidade. (Salmo 39:5b).

 

 

Segundo: Deus julga os pensamentos e segredos dos homens, bem como suas ações exteriores.

 

 

Romanos 2:16 diz, No dia em que Deus há de julgar os segredos dos homens, por Jesus Cristo, segundo o meu evangelho. Virá o dia em que Deus julgará, não apenas as coisas que você fez (que os outros homens viram), não apenas as palavras que você falou (que os outros homens ouviram), mas Deus julgará também os segredos do seu coração. Este é o Deus da Bíblia.

 

 

Em Lucas 12:1-3 está escrito: Ajuntando-se entretanto muitos milhares de pessoas, de sorte que se atropelavam uns aos outros, começou a dizer aos seus discípulos: Acautelai-vos primeiramente do fermento dos fariseus, que é a hipocrisia. Mas nada há encoberto que não haja de ser descoberto; nem oculto, que não haja de ser sabido. Porquanto tudo o que em trevas dissestes, à luz será ouvido; e o que falastes ao ouvido no gabinete, sobre os telhados será apregoado.  

 

 

 

Você não está escondido. Todos os seus pensamentos, palavras, ações e obras são conhecidos por Deus. No dia do juízo, ele vai te chamar para prestar contas da vida que você viveu.

 

 

Terceiro: A lei de Deus para o homem tem sido proclamada pela consciência e pela Bíblia. Esta lei nunca pode ser alterada.

 

 

Novamente, em Romanos 2:14-15 a Bíblia diz, Porque, quando os gentios, que não têm lei, fazem naturalmente as coisas que são da lei, não tendo eles lei, para si mesmos são lei; os quais mostram a obra da lei escrita em seus corações, testificando juntamente a sua consciência, e os seus pensamentos, quer acusando-os, quer defendendo-os. 

 

 

Os céticos dizem, “Mas, e aquelas pessoas que viveram e morreram sem nunca terem possuído uma cópia da Bíblia em suas mãos para lerem?”.

 

 

Senhoras e senhores, estes versículos mostram que cada homem e mulher na face da terra têm dentro de si a luz vinda do Deus santo (João 1:9). A palavra de Deus não está escrita somente num livro, mas também está escrita nos corações dos homens que Deus criou. Você sabe, em sua consciência, que Deus existe. Você sabe, na sua consciência, que Deus é Todo-Poderoso. Você sabe, na sua consciência, que Deus é seu Criador. Você sabe, na sua consciência, que um dia você vai estar diante de Deus. E você sabe, na sua consciência, que você pecou contra ele.

 

 

A pergunta é, o que você vai fazer em relação a isso?

 

 

A lei perfeita de Deus para o homem também está proclamada nas páginas da Bíblia. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til jamais passará da lei, sem que tudo seja cumprido (Mateus 5:18).

 

 

Ao invés de ficar discutindo sobre aquelas pessoas que não têm uma Bíblia, é melhor você se ocupar em obedecer a Bíblia que você tem. Você não vai se apresentar diante de Deus um dia e prestar contas por outra pessoa. Você não vai estar diante de Deus um dia para clamar pela causa de outro homem. Um dia, você vai estar diante de Deus e Deus vai te perguntar sobre VOCÊ, não sobre outra pessoa.

 

 

Quarto: Junto com a proclamação da sua lei, Deus anunciou a penalidade pela sua violação. Esta penalidade é a morte eterna.

 

 

Porque todos os que sem lei pecaram, sem lei também perecerão; e todos os que sob a lei pecaram, pela lei serão julgados (Romanos 2:12).

 

 

Deixe isso fazer efeito na sua consciência, porque você sabe, ao ler o versículo, que ele está falando de você.

 

 

Amado, a questão não é quanta luz de Deus um homem tem, quando comparado com outro homem. A questão é, você obedeceu perfeitamente toda a luz que Deus deu a você? Você sabe que a resposta é: não.

 

 

A Bíblia diz em Romanos 3:23, Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus.

 

 

Romanos 6:23 diz, Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor.

 

 

O salário do pecado É, não “era”, nem “será”, mas o salário do pecado É a morte.

 

 

O que é pecado? É a violação da santidade de Deus. O pecado traz o juízo do Deus justo.

 

 

Quinto: Uma única violação de uma única lei, até mesmo no pensamento, já faz com que a pessoa mereça a punição. Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las (Gálatas 3:10). “Todo aquele”, significa que não há exceção a esta regra. “Todas as coisas” significa que não há desculpas aceitáveis. A pessoa tem que fazer todas as coisas, guardar todos os mandamentos, obedecer todos os jotas, tios e palavras da Escritura, ou então cairá debaixo da maldição de Deus. Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos (Tiago 2:10).

 

 

Isso precisa ser repetido várias e várias e várias vezes, porque há muitas pessoas que querem justificar a si mesmas diante de Deus, estabelecendo seu próprio padrão de justiça. O padrão de Deus é absoluta perfeição, sem pecado. A pessoa não pode transgredir nem violar nenhuma lei, durante toda a sua vida.

 

 

 

Querido leitor, você pode ver claramente que, pelos seus próprios méritos, obras ou feitos, nenhum homem tem a menor chance de ser aprovado pelo juízo de Deus baseado na sua própria justiça.

 

 

Sexto: Nenhum serviço apresentado, ou pedido de perdão, pode anular a execução da penalidade, a não ser que algum outro meio seja encontrado para satisfazer a justiça de Deus. Veja, Deus é um Deus justo. Seu juízo é imparcial. Ele não irá, ele NÃO PODE, perdoar o pecado até que alguém pague por aquele pecado.

 

 

Observando novamente a lei do Velho Testamento, no livro de Êxodo, encontramos esta afirmação claramente, Passando, pois, o SENHOR perante ele, clamou: O SENHOR, o SENHOR Deus, misericordioso e piedoso, tardio em irar-se e grande em beneficência e verdade; que guarda a beneficência em milhares; que perdoa a iniqüidade, e a transgressão e o pecado; que ao culpado não tem por inocente; que visita a iniqüidade dos pais sobre os filhos e sobre os filhos dos filhos até a terceira e quarta geração. E Moisés apressou-se, e inclinou a cabeça à terra, adorou (Êxodo 34:6-8).

 

 

Nosso Deus é um Deus de misericórdia (beneficência). Nosso Deus é um Deus de graça. Nosso Deus é tardio em irar-se. Ele é um Deus de abundante bondade e verdade. Nosso Deus é um Deus que perdoa a iniqüidade, a transgressão, e o pecado, MAS ele não pode e não terá o culpado por inocente. Deus não pode tirar o pecado até que alguém pague a penalidade por aquele pecado. Isso explica porque aqueles que morreram na fé, antes de Jesus ter morrido na cruz, não podiam ir para o céu. Eles esperavam alguma coisa melhor (Hebreus 11:40) no seio de Abraão (Lucas 16), que iria permitir que os cativos fossem libertados (Efésios 4:8). Esta coisa melhor era o pagamento pelo pecado, feito por Jesus, que limpou a culpa.

 

 

A Bíblia afirma que a alma que pecar, essa morrerá (Ezequiel 18:20) e o salário do pecado é a morte (Romanos 6:23). Mas os pecadores estão vivos ao redor de nós. Isso ocorre porque Deus é misericordioso e gracioso. Por causa da sua longanimidade, Deus está esperando que os homens se arrependam. Mas não presuma, por causa disso, que estes homens não estão debaixo da sua condenação. Eles precisam ser limpos de sua culpa. Isso só pode ocorrer através da fé na expiação do sangue de Jesus Cristo.

 

 

No Novo Testamento, encontramos nas Escrituras o seguinte: Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada (Gálatas 2:16).

 

 

Nenhuma obra dos homens pode satisfazer a justiça de Deus. A Bíblia diz que o Senhor Jesus Cristo pagou a penalidade pelo teu pecado. O Senhor Jesus Cristo pagou pela tua transgressão. O Senhor Jesus Cristo levou tua iniqüidade no seu corpo sobre a cruz, e se você puser tua fé no Senhor Jesus Cristo você pode e será justificado.

 

 

Gálatas 2:21 afirma, Não aniquilo a graça de Deus; porque, se a justiça provém da lei, segue-se que Cristo morreu debalde. Veja bem, se as obras, atos e ações de homens pecadores pudessem pagar pecados, então a morte do Senhor Jesus Cristo teria sido um ato debalde (ou seja, sem significado). Mas, meu amigo, é verdade sim, que a justiça não pode vir da lei, e que a justiça não pode vir por se guardar regras e mandamentos. Se é verdade que você só pode ser justo diante de Deus pela graça de Deus, através da fé no Senhor Jesus Cristo, então não frustre a graça de Deus. Deus quer te salvar. Deus quer te perdoar. Mas ele não pode fazer isso até que os teus pecados tenham sido pagos. Jesus Cristo pagou pelos seus pecados. Você vai confiar nele? Você vai crer nele? Você quer recebê-lo como seu Salvador e Senhor pessoal?

 

 

A ira e vingança de Deus são apenas outros termos para expressar a sua justiça. O significado destes termos sempre inclui uma punição justa pelo pecado. O termo “vingança” nunca é aplicável a Deus da mesma forma que é usado pelos homens. Deus nunca é “vingativo” neste sentido. Ele não revida aos homens por gratificação própria. O objetivo de Deus em punir o pecado é praticar a justiça; porque só é possível haver verdadeiro gozo e felicidade quando a justiça perfeita é exercida.

 

 

Na dispensação da graça, Deus traz outros juízos além da morte, mas estes são apenas temporários e não substituem o seu juízo final contra o pecado. Quantas vezes já ouvimos pessoas dizerem que os homens sofrem em guerras, em doenças, em pobreza, perdem seus entes queridos, sofrem tragédias na vida pessoal, e portanto eles sentem que seus pecados foram punidos e que não existe inferno. Muitas vezes ouvimos as pessoas dizendo “Eu estive numa guerra e aquilo era o inferno. Eu passei por uma doença e aquilo era o inferno. Eu sofri uma aflição terrível, aquilo era o inferno.”

 

 

Estas circunstâncias podem ter sido, sim, o juízo de Deus sobre o pecado. Nada disso jamais teria acontecido se não houvesse pecado no mundo. Mas isso não é o inferno.

 

 

O inferno é um lugar que arde em chamas (Lucas 16:23-24). O inferno é descrito como “trevas exteriores” (Mateus 25:30). O inferno é um lugar onde há pranto e ranger de dentes, onde o verme não morre e o fogo nunca se apaga (Marcos 9:44-48).

 

 

Se você está vivendo e respirando, você não está no inferno, e você nunca esteve no inferno. E, ainda melhor, você não tem que ir para o inferno. Você pode ser salvo, crendo no Senhor Jesus Cristo. A única exceção para o julgamento de Deus é o homem receber o Senhor Jesus Cristo. Perceba que, os juízos temporários de Deus são na verdade atos de bondade, ainda que você não compreenda nem goste deles. Estes juízos são a forma de Deus te avisar  e te corrigir, antes que seja muito tarde.

 

 

Num juízo como o dilúvio dos dias de Noé, os ímpios foram destruídos para preservar a semente do justo. Quando Deus enviou fogo sobre Sodoma e Gomorra, os justos foram salvos. Quando Deus enviou o destruidor no Egito, na noite da Páscoa, Deus matou os primogênitos na casa de todos os incrédulos, mas os justos foram salvos.

 

 

Deus julga o pecado, mas Deus salva e livra o justo. Você e eu não somos justos. Jesus Cristo é justo. Temos que ir a ele. Temos que recebê-lo. Temos que crer e confiar nele, para salvação de nossa alma.

 

 

Amigo, você percebe que você é um pecador, e que você enfrentará o juízo de um Deus justo? Você quer vir até este Deus justo e ser honesto com ele? Ele já sabe que você é um pecador, mas ele está esperando você se arrepender deste pecado. Se você lançar sua alma aos pés do Senhor Jesus Cristo, e invocá-lo para que ele salve você, para que ele te perdoe, então ele te dará a justiça dele, o dom gratuito da vida eterna, o perdão total e gratuito de todos os pecados. Confie nele. Você quer fazer isso hoje?

 

 

 

  


 

Voltar para o livro O FIRME FUNDAMENTO

 

 

 

 

 

   

 

  Locations of visitors to this page    The Fundamental Top 500   The Baptist Top 1000