Inicial Artigos O Amor de Deus

 

 

Voltar para o livro O FIRME FUNDAMENTO

 

 


O AMOR DE   DEUS

 


 

 

É maravilhoso saber que temos um Deus que é santo, justo, verdadeiro, reto e puro em tudo que Ele faz. Vimos em outras lições que sua palavra, seus atos e pensamentos são absolutamente perfeitos. Contudo, isso foi um tanto assustador, na medida em que prosseguimos para considerar o julgamento e a justiça de Deus. Percebemos que, somente através do sacrifício do Senhor Jesus Cristo, nós podemos ter esperança de sermos aprovados no julgamento de Deus. Isso porque Jesus foi julgado em nosso lugar.

 

 

É hora de falar sobre o motivo por trás deste sacrifício: o amor de Deus.

 

 

Existem muitos bons professores, que crêem na Bíblia, mas que se esquecem quase que completamente de falar sobre o tema do amor de Deus. Isso ocorre porque existem muitos outros professores liberais, que parecem nunca falar sobre outra coisa. Temos que admitir que é errado, sim, falar apenas do amor de Deus, da graça de Deus, da bondade de Deus, sem nunca mencionar a ira de Deus, seu julgamento, seu ódio pelo pecado. Mas, é igualmente errado falar apenas da ira de Deus, do seu julgamento, do seu ódio pelo pecado, sem nunca falar do amor de Deus.

 

 

Minha esperança e oração é que possamos, nesta série de lições, obter uma visão equilibrada, considerando cada aspecto do Deus vivo e verdadeiro.

 

 

O amor é uma parte do caráter santo de Deus. O amor de Deus não é como a afeição humana. A afeição humana é altamente egoísta; ou seja, uma pessoa se atrai ou se afeiçoa por alguém com a idéia de receber algo em troca. A afeição humana é altamente egoísta.

 

 

O amor de Deus é completamente altruísta, ou seja, não possui nenhum egoísmo. Deus não tem nada a ganhar por amar o homem. O que o homem pode acrescentar a Deus? O que o homem pode dar a Deus? Como Deus poderia ser mais completo por causa do amor do homem? O amor de Deus é completamente altruísta.

 

 

O amor de Deus se estende a todos – sejam eles amáveis ou não. A afeição humana não faz isso. Jesus Cristo, o Salvador, ama todos os homens. E não somente isto, mas também Deus o Pai, o mesmo Deus de justiça e julgamento, ama todos os homens. Ele permanece amando os homens pecadores e rebeldes. Atraindo-os com seu amor, ele deseja ver todos os homens felizes, se regozijando, abençoados. Ele está fazendo tudo que o seu amor onipotente pode fazer para que os homens alcancem estas bençãos.

 

 

Em I João 4:8, a Bíblia diz Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor. A essência do caráter de Deus, o sentido, a realidade da pessoa de Deus, é amor.

 

 

Deus ama todos os homens. Ele ama até mesmo seus inimigos.

 

 

Em João 3:16, lemos Porque Deus amou o mundo de tal maneira. Ora, este não é o mundo que é pecaminoso e errado? Este não é o mundo que rejeitou a Deus, se rebelou contra Ele, e seguiu seu próprio caminho? E, mesmo assim, a Bíblia diz Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu (este é o amor verdadeiro: dar. E o que foi que Deus deu?) seu Filho unigênito, (Ele deu o seu maior tesouro, seu Filho unigênito. Por que Deus fez isso?) para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

 

 

Isso é amor. Deus é amor! Deus, em amor, ofereceu aos homens pecadores o que Ele tinha de maior, seu Filho unigênito, para que eles pudessem simplesmente receber seu Filho, como um presente, e assim tivessem a vida eterna para viver junto com seu Criador.

 

 

Em Mateus 5:43-45, Jesus Cristo diz, Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo, e odiarás o teu inimigo. Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus; Porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos.  Então, no versículo 48, Ele diz: Sede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso Pai que está nos céus. 

 

 

O amor perfeito de Deus alcança todos os homens, mesmo que eles sejam maus, bons, justos ou injustos. Jesus nos disse para não sermos como os homens, que amam aqueles que os amam e odeiam aqueles que os odeiam. Devemos ser como nosso Pai celestial, amando nossos inimigos. Você deve amar aqueles que odeiam você. Este é o amor maravilhoso de Deus.

 

 

Em Ezequiel 33:11, está escrito: Dize-lhes: Vivo eu, diz o Senhor DEUS, que não tenho prazer na morte do ímpio, mas em que o ímpio se converta do seu caminho, e viva. Convertei-vos, convertei-vos dos vossos maus caminhos; pois, por que razão morrereis, ó casa de Israel?

 

 

Ora, é natural para um homem ter prazer na morte do seu odiado inimigo. Não estou dizendo que isso seja certo. Eu disse que isso é natural. Com certeza é compreensível (porém não aceitável) que um homem tenha algum prazer na morte do seu pior inimigo. Contudo, Deus afirma que Ele não tem prazer na morte do seu inimigo. O Deus Todo-Poderoso não tem prazer na morte do ímpio. Pelo contrário, Ele tem prazer em que o ímpio se converta do seu mau caminho e viva. Este é nosso Deus. Deus é amor.

 

 

Vamos falar sobre quatro maneiras pelas quais Deus manifesta seu amor.

 

 

 

Primeiro, Deus manifesta seu amor concedendo bençãos materiais. Essas são coisas que não duram para sempre. Aprendemos que Deus concede a luz do sol a todos os homens, bons e maus. Aprendemos que Deus concede a chuva sobre todos os homens, justos e injustos. Em Tiago 1:17, a Bíblia diz: Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação.

 

 

Muitos vivem suas vidas pensando que são filhos de Deus, e pensando que estão prontos para se encontrarem com Deus, porque receberam bençãos e prosperaram em suas vidas. Se você tem ar para respirar, se você tem uma mente sadia, se você tem qualquer saúde física, se você comeu alguma coisa hoje, se você bebeu alguma coisa hoje, se você tem roupas no corpo e se você tem algum lugar para dormir, a Bíblia diz que você tem todas estas coisas porque Deus abençoou você – e só por causa disso.

 

 

A Bíblia ainda diz que Deus não abençoou você porque você é bom. Pode ser que você seja mau. Deus não abençoou você porque você é justo. Você pode ser injusto.

 

 

Deus abençoou você porque Ele é um Deus bom, que manifesta seu amor até mesmo para aqueles que não o amam.

 

 

Não pense que, por causa de Deus ser tão bom com você, isso significa que você seja bom. Não, meu amigo, esta é a bondade de Deus levando você ao arrependimento. Quando um homem percebe que Deus tem sido tão amoroso, a ponto de abençoar alguém que não merece, este conhecimento certamente o levará ao arrependimento.

 

 

 

Em segundo lugar, Deus manifesta seu amor pela sua longanimidade e misericórdia.

 

 

Vemos um exemplo disso na relação de Deus com os judeus ao longo dos séculos, em que eles rejeitaram a Deus vez após vez. Este amor é visto na vida de muitos homens que blasfemam, zombam, desprezam e rejeitam o Senhor Jesus Cristo, enquanto ano após ano, dia após dia, Deus os abençoa com vida, saúde e bens materiais.

 

 

O fato de que Deus recebe tanto desprezo e abuso, ouve tanta blasfêmia, suporta tanta rejeição de homens pecadores caídos, tudo isso é prova do seu amor.

 

 

A Bíblia diz em II Pedro 3:9, O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se.  

 

 

Por que Deus não destrói o homem pecador? Não é porque seu julgamento não exige isso. Não é porque ele não tenha prometido que vai fazê-lo. Não é porque Deus vai deixar de cumprir sua palavra. Pelo contrário, amado, é porque Deus é longânimo. Ele não quer que você se perca e pereça no inferno. Ele quer que você seja salvo. Ele quer que você se arrependa e receba a vida eterna que Ele tem para você. Por isso Ele está esperando com paciência.

 

 

Não sabemos quando é que será o dia do Senhor. Não vale a pena esperar para ver. É tolice adiar o arrependimento e salvação. Mas, é tão maravilhoso saber que, pelo menos até este momento, Deus tem adiado o seu julgamento por causa do seu grande amor.

 

 

Em Isaías lemos uma declaração semelhante: Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem maligno os seus pensamentos, e se converta ao SENHOR, que se compadecerá dele; torne para o nosso Deus, porque grandioso é em perdoar. (Isaías 55:7).

 

 

O amor de Deus se manifesta na sua graça e na sua misericórdia. Não sei quais pecados você cometeu. Não sei o quanto você se afastou da vereda da verdade e da justiça. Mas Deus sabe e Ele quer te perdoar. Ele está esperando para te limpar e te perdoar, se você apenas vier a Ele.

 

 

 

Em terceiro lugar, Deus manifesta seu amor pelo fato de ter enviado Cristo para morrer por nós, enquanto éramos terríveis pecadores. Uma das maiores declarações de toda Bíblia encontra-se no quinto capítulo do livro de Romanos: Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios. Porque apenas alguém morrerá por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer. Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.  (Romanos 5:6-8). Aleluia!

 

 

Jesus Cristo não morreu por um bom homem, por um grande homem, ou por algum homem perfeito. Ele morreu por cada homem fraco, pecador, caído, como eu e você. Aqueles de nós que não tínhamos nenhuma força para nos salvarmos a nós mesmos, nenhum poder para parar de pecar, nenhuma habilidade de nos fazermos bons para irmos para o céu, nós recebemos a graça de Deus. Somos pecadores, e mesmo assim, por causa do grande amor de Deus, Cristo morreu por nós. Como é que você pode rejeitar uma graça tal como esta? Como você pode se desviar de um amigo como este?

 

 

Em I João 4, lemos sobre a manifestação do seu amor: Nós o amamos a ele porque ele nos amou primeiro. Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu?   (I João 4:19-20).

 

 

O que Deus está ensinando nesta passagem é que, quando Ele me amou, ele amou o que era menos amável, o que menos merecia amor. Ele afirma nos versículos 9-10 no mesmo capítulo Nisto se manifestou o amor de Deus para conosco: que Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo, para que por ele vivamos. Nisto está o amor, não em que nós tenhamos amado a Deus, (Isso não seria grande coisa, porque Deus é digno de amor. Não há motivo para qualquer criatura deixar de amar a Deus) mas em que ele nos amou a nós, e enviou seu Filho para propiciação pelos nossos pecados. 

 

 

Esta é a maravilhosa verdade, não que tenhamos amado a Deus, mas que Deus nos amou. O amor de Deus se manifesta em que Ele enviou seu Filho, o Senhor Jesus Cristo, para morrer por nós. Muitos estão se esforçando, trabalhando pesado com arrependimentos, com jejuns, com torturas, tentando guardar leis,  mandamentos e regras, esperando se purificarem a si mesmos do pecado. Muitos estão tentando dar o máximo de si para se fazerem religiosos diante de Deus, esperando eliminar o pecado de suas vidas, para que Deus possa aceitá-los.

 

 

Quero dizer a você que esta atitude é muito nobre, mas de forma alguma levará alguém ao céu. Não podemos nos tornar bons o suficiente para impressionar o Deus santo. Nunca poderemos nos tornar limpos o suficiente para merecer a aceitação do Altíssimo. Deus exige absoluta ausência de pecado, desde o dia do nascimento até o dia da morte, e ninguém pode alcançar isto. Por isso é que é tão maravilhoso ver o que a Bíblia diz sobre o grande amor de Deus.

 

 

Deus enviou seu Filho, o Senhor Jesus Cristo, para morrer por você – não depois que você já tinha se limpado do seu pecado, mas enquanto você ainda era um pecador. Cristo morreu pelos pecadores. Ele morreu para pagar pelos pecados. Ele perdoa pecados. Ele salva pecadores.

 

 

 

Em quarto lugar, o amor de Deus se manifesta pelo tão grande amor com o qual Deus ama aqueles que respondem ao seu amor.

 

 

Aqueles que respondem ao amor de Deus, amando-o de volta, recebem dEle gratuitamente toda provisão para a eternidade. Vede quão grande amor nos tem concedido o Pai, que fôssemos chamados filhos de Deus. Por isso o mundo não nos conhece; porque não o conhece a ele. (I João 3:1).  Oh, que manifestação de amor maior do que esta poderia um homem mortal conhecer, do que ser chamado um filho de Deus?

 

 

Em I João 2:1 a Bíblia diz, Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo.

 

 

Sendo salvo, tendo nascido de novo, sendo um filho de Deus, eu tenho o Senhor Jesus Cristo como meu advogado à destra de Deus o Pai, defendendo minha causa diante do trono de Deus.

 

 

Em Efésios 2:4-7 a Bíblia afirma: Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos), E nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus; Para mostrar nos séculos vindouros as abundantes riquezas da sua graça pela sua benignidade para conosco em Cristo Jesus.

 

 

Oh, pense nisso, não apenas agora, mas por toda eternidade o amor de Deus será manifesto, pelo fato de que Ele salvou as almas de todo homem e de toda mulher que recebeu seu amor e confiou nEle.

 

 

Jesus disse em João 14:23, Jesus respondeu, e disse-lhe: Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada.

 

 

Deus é amor. Ele ama você. Ele provou seu amor dando a você bençãos materiais, pela longanimidade e misericórdia dEle, enviando o Senhor Jesus Cristo, seu Filho, para morrer pelos seus pecados. Se você responder ao amor dEle e receber seu Filho como Salvador, Ele vai te perdoar, com abundante amor, por toda eternidade. O amor de Deus é levado a escolher, finalmente, entre os que o amam e aqueles que não o amam. Ele prometeu conceder perfeita felicidade aos que o amam. Ele só pode fazer isso separando-os dos que não o amam. Esta separação é a destruição total daqueles que não amam a Deus.

 

 

Não há parcialidade no amor de Deus, assim como não há parcialidade no julgamento de Deus. Existe, entretanto, uma diferença. Seu Filho é o destinatário especial do seu amor. Aqueles que se tornam filhos de Deus, colocando sua fé e confiança em Jesus Cristo, também se tornam destinatários especiais do seu amor. O maravilhoso amor de Deus faz com que Deus esteja eternamente separado de cada deus, ídolo, homem, mulher ou líder religioso. Deus é amor.

 

 

Deus ama você. Você ama Deus? Se você ama Deus, você quer estar com Ele hoje, amanhã, no dia seguinte, e por toda eternidade. Só existe uma maneira de você fazer isso. Deus abriu o caminho. Ele não quer que você abra o caminho. Ele enviou o seu Filho, o Senhor Jesus Cristo, para sofrer, sangrar, morrer, para levar seus pecados, para pagar a condenação pelo seu pecado na cruz do Calvário. Ele morreu e foi enterrado, mas três dias e três noites depois, vencendo a morte e triunfando sobre o pecado, o Senhor Jesus Cristo ressuscitou dos mortos. Ele está vivo hoje. Ele está sentado à destra de seu Pai, na glória do céu. Ele está atento e quer ouvir você invocá-lo. Ele está esperando você vir e dizer a Ele que você crê que Ele morreu pelos seus pecados, e que Ele ressuscitou dentre os mortos. Ele está esperando você pedir a Ele que perdoe seus pecados, salve sua alma, e se torne o seu Senhor por toda eternidade.

 

 

Esta é a coisa mais importante que você vai fazer na sua vida. O que você vai fazer com o Deus que ama você? Isso é que vai determinar o que é que Deus (que ama você) vai fazer com você. Ele vai receber você no céu, ou vai lançá-lo no inferno? O único caminho para o céu é pela fé em Jesus Cristo.

 

 

 

 


 

Voltar para o livro O FIRME FUNDAMENTO

 

 

 

 

 

   

 

  Locations of visitors to this page    The Fundamental Top 500   The Baptist Top 1000